sábado, 15 de julho de 2017

A Caridade (Augusto Silva)

O dr. Augusto Silva, que hoje empresta seu nome à praça central e a um Centro Espírita na cidade, é nas palavras de Firmino COSTA [1908, n. 17] “a maior intelectualidade que Lavras tem produzido”. Foi médico, escritor e Agente Executivo (prefeito) desta cidade entre 1893 e 1894. Alma caridosa, assim escreveu sobre esta virtude:

Qual flor que expande seus aromas, descuidosa dos que os aspiram, assim a caridade espalha benefícios e consolações sem lhe dar de saber quem os recebe; também semelha o córrego que refresca e alenta as ervas da ribeira, quer sejam boas ou más, e vai serpeando sem voltar para colher o prêmio de seus benefícios. Não há muitos que compreendam a caridade, ai! Não! Dar e esquecer é altíssima virtude, que sobre excede quantas possam enobrecer o homem.

Segue outro poema póstumo de Augusto Silva, publicado em O Município em 17 de maio de 1914.