quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Academia Lavrense de Letras

Geovani Németh-Torres, Agosto de 2015 (atualizado em Março de 2017)

* Publicado na Wikipédia.

Academia Lavrense de Letras (ALL)
Fundação: 17 de novembro de 1967
Sede: Casa da Cultura de Lavras, Rua Santana, 111, Centro, Lavras
Membros: 40
Presidente: José Passos de Carvalho

A Academia Lavrense de Letras (ALL), criada em 17 de novembro de 1967 através da Lei n.º 675, tem por finalidade a união dos intelectuais lavrenses, o cultivo e a difusão das letras, bem como o desenvolvimento cultural da comunidade de Lavras. [1]

Antecedentes

Os primeiros grêmios literários e grupos dramáticos de Lavras surgiram no final do Século XIX, como o Clube Literário e Musical (fundado por Samuel Gammon em 1896) e o Clube Recreativo 21 de Abril (fundado em 1899). Estas entidades eram ligadas aos educandários então existentes e tinham participação ativa no antigo teatro municipal.[2]. 

Em 6 de janeiro de 1949 foi criada a Sociedade dos Amigos de Lavras (SAL), cujo propósito maior era dignificar o homem e engrandecer a terra de Lavras nos aspectos econômicos, culturais e sociais. Ao longo dos quase vinte anos de existência, a SAL foi uma das principais entidades cívicas da cidade, promovendo diversos eventos e iniciativas nas áreas culturais, educacionais, esportivas e filantrópicas. Os atuais Museu Bi Moreira e a Biblioteca Pública Municipal Meirinha Botelho estão entre as heranças diretas das ações da SAL. 

Fundação

No início dos anos 1960, Lavras se via numa grave crise intelectual desencadeada pela demolição do Teatro Municipal, o desaparecimento da Sociedade Lavrense de Cultura Artística (SOLCA) e da Sociedade dos Amigos de Lavras, o fim da publicação d'A Gazeta - o único semanário impresso da época -, e o quase fechamento da Escola Superior Agrícola de Lavras. No final da década, motivada pela celebração do primeiro centenário da cidade (1968), ensaiou-se um renascimento cultural em Lavras através de novas ações nesta área. Foi assim que em 1967 o vereador Herculano Pinto Filho elaborou uma lei recomendado a criação da Academia Lavrense de Letras para o dia 20 de julho do ano seguinte, o que não aconteceu. 

Seria preciso esperar até o primeiro semestre de 1969 para o Poder Executivo Municipal indicar uma Comissão Especial que tomasse as providências no sentido de efetivar a instalação da criada arcádia. No dia 12 de junho deste ano, reuniu-se os intelectuais da época com a missão anteriormente recomendada. Foram eles: Expedito Almir de Paula Lima, Juiz de Direito e escritor; Carmem Pereira Cartaxo; educadora lavrense; Hugo José de Oliveira, jornalista e advogado; Herculano Pinto Filho, radialista e político; Maria Carolina Brasileiro de Castro, professora e escritora; Maria Eugênia Maceira Montenegro, escritora; Nilza Helena Costa; Nelly Furbetta Pinheiro, poetisa e professora; Orlando Haddad, médico e político; Otávio José Alvarenga, jornalista e advogado; Sylvio do Amaral Moreira, museólogo e jornalista; Sinval Silva, professor lavrense; Tuffy Haddad, advogado e político; e Waldyr Azevedo. Após a reunião foi eleita a Primeira Diretoria da Academia Lavrense de Letras, criada então por uma lei do Poder Executivo Municipal, que atuou no período de 12 de junho de 1969 a 31 de dezembro 1972. 

Período silencioso e reestruturação

Por um período de dez anos a entidade permaneceu silenciosa e sem atividades nos meios culturais e literários lavrenses, até por que não possui estatuto, regimento interno e constituição jurídica para suas atividades. Foram longos onze anos de quase inatividade completa, até que o jornalista e escritor Hugo José de Oliveira assumisse uma posição na sociedade lavrense, conscientizando a todos da necessidade de reativar a instituição, que estava adormecida sob a arte poética e o véu literário.

No dia 10 de novembro de 1984, nas dependências da Casa da Cultura, às vinte horas, compareceram os seguintes membros naquele endereço: Maria Olímpia Alves de Melo, Maria Cássia Terra Mendes, Murilo Mendes Lima, Maria da Conceição Alves, Nelly Furbetta Pinheiro e Hugo José de Oliveira, esses dois últimos acadêmicos são os únicos que participaram da primeira diretoria de fundação da arcádia lavrense. Diante dos presentes, foram eleitos: Presidente: Hugo José de Oliveira; Secretária: Maria Olímpia Alves de Melo; e Tesoureira: Maria Cássia Terra Mendes.

Em 2016 a diretoria da Academia Lavrense de Letras criou a Academia Juvenil de Letras e Artes de Lavras, um projeto sob sua administração e com a participação de parceiros para atuação no meio estudantil, objetivando incutir, nos jovens, a importância da leitura, da literatura e da pesquisa e das artes, bem como a valorização dos educadores que passaram por Lavras e Minas Gerais. São quarenta cadeiras patronais e cada acadêmico titular no Plenário é padrinho de um jovem acadêmico.

Utilidade Pública

A Academia Lavrense de Letras é considerada de utilidade pública municipal pela Lei n.º 4.223, de 6 de julho de 2015[3]. 

Prêmios

Em 2016 a ALL criou o Diploma do Mérito Cultural “Professor Firmino Costa”, que objetiva homenagear, anualmente, personalidades que tenham contribuído para o engrandecimento e divulgação de ações culturais em Lavras e na esfera regional. A entrega se dá em sessão solene do Plenário da Academia Lavrense de Letras[4].

Lista dos presidentes

1º, 1969-1971, Expedito Almir Paula Lima
2º, 1972-1973, Orlando Haddad
--, 1974-1984, Período inativo
3º, 1984-1986, Hugo José de Oliveira
4º, 1986-1988, Expedito Almir Paula Lima
5º, 1988-1990, Maria Cássia Terra Mendes
6º, 1990-1993, Luiz Carlos Ferreira de Souza Oliveira
7º, 1993-1994, Sebastião Naves da Silveira
8º, 1994-1996, Paulo Adolfo Machado Lages
9º, 1996-1997, Expedito Almir Paula Lima
10º, 1997-2001, Almir Paula Lima
--, 1997, José Alves de Andrade (Presidente em Exercício) 
11º, 2001-2011, Ângela de Paula Lima
12º, 2012-2014, Carlos Frederico Leite Corrêa
13º, 2014-2015, Chrystiani de Souza Paiva Capelli
14º, 2015-Hoje, José Passos de Carvalho

:=:=:

[1] ANDRADE, José Alves. Lavras, Sua História, Sua Gente. Lavras: José Alves Andrade, 2002.

[2] VILELA, Marcio Salviano. A Formação Histórica dos Campos de Sant'Ana das Lavras do Funil. Lavras: Indi, 2007.

[3] Diário Oficial do Município de Lavras. Ed. 1.099, 6 jul. 2015.

[4] História da Academia Lavrense de Letras.

2 comentários:

  1. Olá, Giovanni. Obrigado pelo verbete dá Academia Lacrense de Letras publicado na WIKIPEDIA. O Presidente Passos de Carvalho solicitou-me que lhe pedisse para fazer uma atualização desse conteúdo conforme o que está publicado e atualizado em www.academialavrensedeletras.com.br.
    Abraço, obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Lista dos acadêmicos atualizados conforme o site em 30 mar. 2017!

    ResponderExcluir