sábado, 31 de janeiro de 2015

Visita Pastoral do Bispo de Mariana (1824)

Fonte: TRINDADE, Dom Frei José da Santíssima. Freguesia de Santana de Lavras do Funil. In: Visitas Pastorais de Dom Frei José da Santíssima Trindade (1821-1825). Belo Horizonte: Centro de Estudos Históricos e Culturais; Fundação João Pinheiro; Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, 1998, pp. 227-231. Coleção Mineiriana.

FREGUESIA DE SANTANA DE LAVRAS DO FUNIL, A 42 LÉGUAS DE MARIANA E 81 DA CORTE DO RIO DE JANEIRO, COM 1.195 ALMAS E 1.866 FOGOS, SEGUNDO UM MAPA DO REVERENDO VIGÁRIO DE 1822, E DE RENDIMENTO COBRÁVEL COM A CÔNGRUA DE 1:600$000.

Esta freguesia tem de longitude, do nascente ao poente, de 24 a 25 léguas, e de latitude de 7 a 8 léguas.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

(16 de janeiro) Francisco Antônio de Salles

Francisco Antônio de Salles (07/09/1902 a 07/09/1906)
Natural de Lavras (MG), nasceu em 20 de janeiro de 1863 e faleceu em 16 de janeiro de 1933
Filho de Firmino Antônio de Salles e Anna Candido de Salles
Formação: Curso de Direito - Faculdade de São Paulo - 1886
Trajetória
Francisco Salles foi alfabetizado pelo educador padre Américo Brasileiro. Em seguida, foi buscar, no Seminário de Mariana, os conhecimentos secundários e preparatórios, que concluiu em Ouro Preto, em 1881. Nesse mesmo ano, iniciou o curso de Direito em São Paulo. Durante o período acadêmico, Salles aderiu ao Clube Republicano Paulista, em pleno regime monárquico. Voltou a Lavras como bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais e abriu banca de advogado, dedicando-se à propaganda republicana e pronunciando conferências.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

(5 de janeiro) Evaristo Alvarenga

Este nome recorda-nos um moço que se fez unicamente pelo seu trabalho, pela sua constância no cumprimento dos deveres, pela sua inteligência pouco vulgar. Ainda menino ele veio de Perdões, sua terra natal, empregar-se no comércio de Lavras, e por espaço de anos com um ordenado reduzido, auxiliou eficazmente sua família, economizando ele para si o mais possível e sentindo-se contente de servir àqueles que então lhe eram os mais queridos. Quem na infância deu tão belo exemplo de amor filial, na mocidade viria a ser, como ele o foi, chefe de família carinhoso, inexcedível no amor aos filhos.