sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Há 100 anos, a construção da Matriz de Sant'Ana

Matriz de Sant'Ana em construção, 1911




"O prolixo semanário A Tribuna em 1910 não poupava adjetivos à construção e ao construtor, porém reconhecia que havia necessidade de mais recursos para o edifício


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Compositor lavrense: Felipe André Florentino Silva

Não há muito, Lavras perdeu um de seus grandes músicos, o pianista Paulo Oliveira Alves (mais conhecido como "Paulinho do Piano", meu vizinho, aliás). Apesar de ainda haver em nossa cultura musical uma hegemonia bestial de bondes e pancadões, gradativamente a boa e verdadeira música volta a ganhar destaque, conforme podemos observar em 2011 com as apresentações de coraisgrupos musicais e bandas marciais, além de várias notícias sobre projetos de conservatórios e orquestras de câmara para a cidade.

O futuro parece promissor. Pensar que Lavras possa voltar a ser terra de artes e cultura erudita, tal como era até os anos 1960, já não é mero sonho. Assim, gostaria de chamar a atenção dos leitores do blog  História de Lavras para o jovem lavrense Felipe André Florentino Silva, virtuoso músico e compositor que atuamente estuda na Universidade Federal da Bahia. No vídeo abaixo pode-se ver um de seus trabalhos.





Meus parabéns, Felipe! Espero vê-lo em breve tocando nos auditórios lavrenses.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Fotos da Palestra: Saiba porque o TERÇO é a arma mais poderosa que existe

Palestra:
"Saiba porque o Terço é a arma mais poderosa que existe"

Apresentada por Marcos Luiz Garcia, da Associação dos Devotos de Fátima

Dia 8/11/2011, terça-feira, às 20h, após a Santa Missa na Matriz de Sant’Ana

Entra pelos olhos que o mundo está em queda livre em aspectos fundamentais. A única maneira de obter de Nossa Senhora uma intervenção que impeça a queda, e opere uma conversão, é uma bola de neve imensa de fiéis católicos que rezem o terço nas intenções que Nossa Senhora pediu em Fátima.

O terço é a arma mais poderosa que existe! Como rezá-lo para fazer valer todo o seu poder? Nossa esperança na vitória de Nossa Senhora é total, pois Ela mesma a prometeu, quando veio de céu em 1917 para nos convidar a participarmos do Seu triunfo.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Luiz Teixeira da Silva, memórias de um lavrense

Convido-os a visitarem a página de Luiz Teixeira da Silva, artista local de grande talento. O sr. Luiz é também filatelista (colecionador de selos), uma saudável atividade que desde a infância aprendi a gostar visitando sua antiga lojinha de venda de selos, moedas, cédulas e cartões telefônicos para coleção.

Confira seus textos e imagens!





Simplesmente uma história real
Alessandro Del Fiume foi um cidadão italiano nascido na medieval cidade de Florença, em 1871. Já quarentão apareceu aqui em Lavras no início de 1911. Era um artesão na confecção de flores em papel e nos mais variados tipos de tecido. Anunciava, através de boletins, um processo moderno de fabricação patenteado por ele em vários paises da Europa, na Argentina e no Brasil. Prometia ensinar em 5 dias por 80$000 pagáveis no final do curso. Quem não aprendesse não pagaria. Era portador de farta documentação recomendando-o como cidadão reto e digno de freqüentar qualquer residência ou instituição para ensinar a sua arte às senhoras e senhoritas. (...)


http://www.gilsonfreire.med.br/tute/index.php?option=com_content&view=article&id=27&Itemid=34

. . . .

Onde ocorreu o fato?

Segundo o autor, o local hoje se encontra em ponto na avenida Sílvio Menicucci, nas proximidades da rua Benedito Valadares. Quanto ao restante da história, eu cheguei a ver o álbum do italiano nos arquivos do Museu Bi Moreira, embora antes de conhecer estes fatos. Quem era a moça, eu realmente não sei. Será que era uma estudante do Colégio de Lourdes?

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Centenário do Bonde

Mais uma vez o jornalista Eduardo Cicarelli -- que considero nosso maior historiador e memoralista lavrense vivo -- nos brinda com um excelente artigo sobre a história dos bondes de Lavras, cuja linha fora inaugurada em 1911 e que perdurou até 1967. Confira a reportagem no Jornal de Lavras e na edição impressa do LavrasNews. (Ano X, n. 528. Lavras. 22 out. 2011).  

. . . .

Publicada em: 19/10/2011 08:28 - Atualizada em: 19/10/2011 14:16
Há cem anos era inaugurada a linha de bondes em Lavras - veja fotos
Belo Horizonte, Juiz de Fora e Lavras, as três únicas cidades mineiras que possuíam bondes na época.

Foto histórica da Estação do Bonde. Ao fundo, a Igreja do Rosário

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

VIII Encontro Internacional de Educadores do Cedet-Aspat

Convido a todos os leitores a participarem do VIII Encontro Internacional do Cedet-Aspat sobre Educação Especial de alunos talentosos e bem dotados. Haverá a presença da professora e psicóloga Dr.ª Helena Serra, vinda diretamente de Portugal.

Será nesta sexta-feira, dia 21/10, às 14:00, no auditório Martha Roberts do Instituto Presbiteriano Gammon (na Praça Augusto Silva). No sábado, pela manhã, haverá também uma apresentação sobre Neurociência do professor Amauri Bartoszeck, da UFPR.

Lembrando que o evento será GRATUITO e que serão fornecidos certificados de ouvintes aos que requisitarem e participarem nos dois dias.

Confira mais informações:



terça-feira, 27 de setembro de 2011

Visita ao Aeroclube

edição 47 do Acrópole narrou algumas histórias da aviação lavrense. Neste mês visitamos o aeroclube, onde, junto dos alunos e do futuro aviador Nilmar Diogo pudemos conhecer mais sobre os aviões e a arte de voar. Confira a reportagem no Jornal de Lavras.

. . .


Publicada em: 25/09/2011 17:55 - Atualizada em: 26/09/2011 07:34
Um passeio diferente: visitar o aeroclube de Lavras - veja fotos
Voar, um sonho possível e barato, sobrevoar Lavras é mais fácil ainda. Saiba como e também veja como as crianças se divertiram no Aeroclube de Lavras.
Alunos da Escola Logosófica, Cedet e Gammon visitaram o Aeroclube de Lavras



quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Por que Lavras é a Terra dos Ipês e das Escolas?

Todo lavrense sabe que o lema de nossa cidade é "Lavras, terra dos ipês e das escolas". Qual é a história por trás deste lema? De fato, há exatos sessenta anos era publicado no jornal A Gazeta a poesia de Jorge Duarte que cunhou a expressão, a qual foi transcrita por Bi Moreira nas páginas do Acrópole (n. 22, ago. 1979) e que segue abaixo. 

"Lavras, cidade dos ipês e das escolas...
Há uma grande semelhança entre os ipês e as escolas, na minha terra natal. Ninguém dá importância aos ipês, durante o ano inteiro, viúvos de folhas, órfãos de flores, parecendo esqueletos vegetais. As raízes vão realizando o seu trabalho anônimo de armazenar energias, para a grande surpresa de agosto. É então a festa dos ipês, em uma orgia de cores deslumbrantes.
Assim também as escolas. Durante o ano inteiro os nossos mestres preparam silenciosamente, anonimamente, os seus alunos, sem despertar a atenção para a sua obra. Em novembro, quando as festas finais se realizam, é que aparecem as flores da inteligência – resultado de um labor fecundo.
Os ipês florescem em agosto. As escolas florescem em novembro."

JORGE DUARTE, A Gazeta, 24 ago. 1941.



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Jornal da Alterosa: Príncipe Bernard Ndouga visita o Cedet






http://www.alterosa.com.br/varginha/html/noticia_interna,id_sessao=90&id_noticia=58508/noticia_interna.shtml

Jornal de Alterosa, 28 de julho de 2011.

Visitas Reais, Imperiais e Presidenciais a Lavras

No final de julho de 2011, Lavras teve a honra de receber a visita do príncipe Bernard Ndouga, de Camarões. Sua Alteza é neto do bombok (rei) Linjeck Libayemi, da etnia Bassa, último monarca reinante no Camarões Alemão, até 1918. Ele foi também o primeiro rei dos Bassa convertido ao Catolicismo, através do trabalho de missionários alemães que lá chegaram ao final do Século XIX. Diz-se que Linjeck tinha mais de duzentas esposas, porém, após sua conversão, ele adotou o casamento monogâmico.

Sua Alteza Real
Príncipe Bernard Ndouga de Camarões
Os Bassa são um grupo étnico de Camarões, falantes do idioma de mesmo nome, pertencente ao importante grupo lingüístico dos bantos. Segundo antigas narrativas, os Bassa eram um povo originário do Egito, mais precisamente das margens do rio Nilo, que há séculos se estabeleceu no atual território camaronês. Aliás, o nome do país foi dado pelos navegadores portugueses que em 1472 chegaram à foz do rio Wouri, ao qual chamaram do “Rio dos Camarões”. Nos Séculos XVIII e XIX, pastores muçulmanos conquistaram boa parte da região e foi em 1884 que os alemães estabeleceram a colônia de Kamerun. Entre 1914 e 1916, na I Guerra Mundial, forças francesas do Chade, inglesas da Nigéria e belgas do Congo invadiram e conquistaram o Camarões Alemão, que após a guerra passou a ser administrado pelo Reino Unido e França através de mandato da Liga das Nações. Nos anos 1950, grupos Bassa e Bamileke lutaram pela independência do país, conquistada definitivamente em 1961.

Foi nesta época que nasceu o príncipe Bernard Ndouga, em 6 de setembro de 1956 na cidade de Douala – a mais populosa de Camarões. Após freqüentar o colégio na sua cidade natal, ele partiu em 1978 para a Europa, onde freqüentou a Escola da Câmara de Comércio de Paris (Universidade de Paris e de Londres). Entre 1989 e 1991, o príncipe morou na Hungria, onde tinha uma empresa voltada para o comércio exterior de café e cacau de Camarões. Desde 1991, Sua Alteza se estabeleceu na Áustria, onde mantém numerosas relações com altos membros da nobreza austríaca e de outros países europeus. Com o patrocínio do conhecido príncipe Willy Turn und Taxis e da piedosa condessa Anna Coreth, e atendendo ao apelo do seu primo, o padre Jean Bosco Ntep – elevado em 1993 a bispo da diocese de Eseka – o príncipe Bernard Ndouga fundou em Viena, no ano de 1994, a Ong Dialog Nord-Sud, visando ajudar a Igreja Católica em Camarões. De fato, em sua numerosa família, o príncipe possui 21 parentes religiosos – bispos, padres e freiras –, além de ser primo de Samuel Eto’o, famoso jogador de futebol.

Sua Alteza veio ao nosso país a convite do príncipe imperial Dom Bertrand de Orleans e Bragança, e sua visita tem como objetivo estreitar os laços entre a África e o Brasil. No dia 27 de julho, ele foi recepcionado pela prefeita Jussara Menicucci e pôde conhecer o coral das Meninas Cantoras de Lavras. O príncipe, que também canta no coral Schubert-Bund de Viena, ficou encantado com a voz de nossas jovens cantoras. No dia seguinte, Sua Alteza foi recepcionado pela Dr.ª Zenita Guenther no Centro para Desenvolvimento do Potencial e Talento (Cedet), pois ele deseja conhecer programas educacionais de sucesso para eventualmente aplicá-los em Camarões. Posteriormente o herdeiro real visitou a Universidade Federal de Lavras, onde vê muitas possibilidades de parcerias e projetos em Agricultura e produção de alimentos. “Brasil e Camarões são países muito parecidos e com grande potencial de crescimento. Precisamos assim fortalecer as relações entre os continentes do Hemisfério Sul”, disse. Para concluir a visita, o príncipe Bernard gentilmente se dispôs para fazer uma palestra na sede da Sociedade São Vicente de Paulo sobre “Os Problemas do Mundo e Sua Cristianização”, enriquecidas com exemplos da África. Sua Alteza permanecerá no Brasil por mais um mês, pretendendo voltar em breve.

Outros Ilustres Visitantes

·    Século XIX

Nos períodos colonial e monárquico, Lavras era apenas uma pequena vila produtora de alimentos destinados ao abastecimento de centros mais populosos, como Rio de Janeiro e São João del-Rei. Esta última cidade, distante cerca de 100 km daqui, foi honrada com várias visitas régias durante o Império. No Primeiro Reinado, São João del-Rei recebeu D. Pedro I em dois momentos-chave da história brasileira: em abril de 1822, o príncipe-regente recebeu entusiástica recepção meses antes da declaração de Independência. Em contraste, a segunda visita imperial foi bem menos festiva, em janeiro de 1831 – curiosamente três meses antes da abdicação de D. Pedro I.

·    1881

Em agosto, D. Pedro II e a imperatriz Teresa Cristina visitam São João del-Rei na inauguração da Estrada de Ferro Oeste de Minas. Diz a tradição oral que estava nos planos da comitiva visitar Lavras, sendo que inclusive reformou-se a Matriz para acolher o monarca. Infelizmente D. Pedro II teve de cancelar a visita, porque um dos membros da comitiva, o Ministro da Agricultura Manuel Buarque de Macedo adoentou-se e faleceu durante a estadia em São João del-Rei.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Coleção de Fotos Antigas - Jornal de Lavras

O Jornal de Lavras publicou hoje, dia 20 de julho, um especial sobre o aniversário da cidade de Lavras, ilustrado com 97 fotos antigas.

Não deixe de conferir a reportagem:

http://www.jornaldelavras.com.br/index.php?p=10&tc=4&c=2578

Publicada em: 20/07/2011 11:01 - Atualizada em: 20/07/2011 11:11
Hoje é aniversário de Lavras, da Olímpica, do Serra da Bocaina e da chegada do homem a Lua - veja fotos antigas


Hoje Lavras está comemorando seu aniversário como cidade, ela faz hoje 143 anos.



sexta-feira, 1 de julho de 2011

Futebol Lavrense, Parte I: o Lavras Sport Club


O futebol, esporte criado na Inglaterra, começou a ser praticado no Brasil no final do Século XIX. Em Lavras, o futebol foi introduzido no Ginásio de Lavras (atual Instituto Presbiteriano Gammon) em 1905 pelo Dr. Knight, que trouxera a primeira bola de couro e uma luva de baseball de seu país natal, os Estados Unidos. Um dos nossos primeiros futebolistas foi Getúlio de Oliveira, que em 1972 registrou um emocionante depoimento sobre os primórdios do esporte na cidade. Era ele um dos alunos do Ginásio naqueles tempos, onde as peladas eram disputadas no terreno em que seria edificado o prédio principal do educandário, jogando com toranjas surrupiadas do pomar do Ginásio...

Anos depois, em 3 de agosto de 1913, Getúlio de Oliveira e Jonas Soeiro, jovens entre 17 e 18 anos,  fundariam o Lavras Sport Club, o primeiro clube de futebol da cidade. Seu primeiro campo de treinamento era na área onde seriam edificados em 1917 as oficinas da Estrada de Ferro Oeste de Minas, e em seguida no campo na Rua do Fogo (atual Rua Bernardino Maceira).

Ainda na década de 1910 nasceriam outros times esporádicos em Lavras, e também o primeiro clássico municipal: o Lavras versus o Sport Club Hymalaia, advindo dos alunos do Ginásio. As partidas entre as duas equipes eram motivo de grande efervescência na cidade, havendo inclusive um incidente de maiores proporções em 1915, quando a disputa atravessou as quatro linhas sendo necessária a intervenção do Dr. Gammon para acalmar os nervos dos briguentos.

O esporte também foi um modo de interligar a região, havendo constantes visitas e excursões a outras cidades, principalmente São João del-Rei, terra do Athletic Foot Ball Club. A primeira partida intermunicipal ocorreu em Lavras no dia 29 de novembro de 1914, com vitória de 3 x 0 para o time da casa.
 
Infelizmente, como lembra Getúlio de Oliveira, “os arquivos do Lavras evaporaram ao sopro da omissão e da desídia”. Segundo uma anotação nos arquivos do Museu Bi Moreira, nem 20% das memórias da equipe pioneira de nossa cidade foram preservadas... uma pena, pois, segundo consta, o Lavras era um verdadeiro campeão, com excepcional aproveitamento de vitórias sobre os rivais. O auge da equipe foi na partida contra o Club Athletico Mineiro (isto mesmo, o “Galo”) em 27 de junho de 1929. O anúncio da disputa valoriza bastante a equipe da capital, que vale a pena transcrever: “Oswaldo, Keeper, o mais perfeito de Minas; Romeu e Binga, Bachs [sic], uma parelha intransponível; Cordeiro Barros e Getúlio, Halfs [sic], linha média, perfeita na marcação; Dalmy e Cunha, as mais rápidas extremas mineiras; Jairo, Saed e Mário Castro, o trio maledicto de Minas que assombrou a defesa do Corinthians Paulista”. O Atlético venceu o Lavras por 6 x 3.

Resultados do Lavras Sport Club

Segue abaixo um levantamento parcial dos resultados encontrados dos jogos do Lavras Sport Club, de sua fundação até a fusão com a Associação Olímpica de Lavras, em 1937.
 

Data
Local

Adversário
Observação
1914/05/03
Lavras
2 x 0
Sport Club Hymalaia (Instituto Evangélico)
J 1, V 1
1914/07/14
Lavras
3 x 1
Sport Club Hymalaia (Instituto Evangélico)
J 2, V 2
1914/11/29
Lavras
3 x 0
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 1, V 1
1915/04/21
Lavras
2 x 2
Sport Club Hymalaia (Instituto Evangélico)
J 3, V 2, E 1
1915/10/12
Lavras
?
Agrícola Foot Ball Club (Escola Agrícola)
Vitória do Lavras
1915/05/25
São João del-Rei
0 x 1
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 2, V 1, D 1
1919/06/22
Lavras
2 x 1
Club Desportivo Esparta (São João del-Rei)
J 1, V 1
1919/09/14
São João del-Rei
1 x 4
Club Desportivo Esparta (São João del-Rei)
J 2, V 1, D 1
1919/10/26
Lavras
1 x 0
Irmãos Foot Ball Club (Ribeirão Vermelho)
J 1, V 1
1920/04/21
Lavras
4 x 2
Associação Athletica do Instituto Evangélico
J 1, V 1
1920/05/13
Lavras
1 x 0
Associação Athletica do Instituto Evangélico
J 2, V 2
1920/06/27
Perdões
5 x 0
Minas Gerais Sport Club (Perdões)
J 1, V 1
1920/10/12
Nepomuceno
4 x 0
América Foot Ball Club (Nepomuceno)
J 1, V 1
1920/11/02
Lavras
5 x 2
Minas Gerais Sport Club (Perdões)
J 2, V 2
1925/10/31
Lavras
3 x 1
Formiguense Foot Ball Club (Formiga)
J 1, V 1
1926/08/02
Lavras
4 x 0
Athletic (Ribeirão Vermelho)
J 1, V 1
1926/08/07
Lavras
2 x 5
Instituto Evangélico (1.º quadro)
J 3, V 2, D 1
1926/08/07
Lavras
3 x 0
Instituto Evangélico (2.º quadro)
J 4, V 3, D 1
1926/08/08
Lavras
5 x 2
Brasil (Perdões)
J 1, V 1
1926/09/19
Lavras
11x1
Brasil (Perdões)
J 2, V 2
1926/09/20
Lavras
5 x 5
Associação Athletica do Instituto Evangélico
J 5, V 3, E 1, D 1
1926/11/21
Três Corações
0 x 3
Três Corações Foot Ball Club
J 1, D 1
1927/05/15
Lavras
2 x 1
Três Corações Foot Ball Club
J 2, V 1, D 1
1927/06/20
São João del-Rei
7 x 0
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 3, V 2, D 1
1927/07/18
Lavras
3 x 2
Club Desportivo Esparta (São João del-Rei)
J 3, V 2, D 1
1927/07/18
Lavras
6 x 0
Ijacy
J 1, V 1
1927/09/04
Lavras
3 x 2
Minas (São João del-Rei)
J 1, V 1
1927/09/18
Lavras
3 x 0
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 4, V 3, D 1
1927/09/18
Lavras
4 x 2
Irmãos Foot Ball Club (Ribeirão Vermelho)
J 2, V 2
1927/10/13
Varginha
0 x 2
Ass. Varginhense de Esportes Athleticos
J 1, D 1
1927/12/04
Lavras
1 x 2
São Bento Foot Ball Club (Itapecerica)
J 1, D 1
1928/04/01
Lavras
6 x 2
Eloy Mendes Foot Ball Club
J 1, V 1
1928/04/08
Lavras
4 x 1
Brasil Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 1, V 1
1928/04/29
Lavras
7 x 1
Eloy Mendes Foot Ball Club
J 2, V 2
1928/04/30
Três Corações
2 x 4
Três Corações Foot Ball Club
J 3, V 1, D 2
1928/05/13
Formiga
1 x 1
Formiguense Foot Ball Club (Formiga)
J 2, V 1, E 1
1928/06/17
Lavras
3 x 3
Ass. Varginhense de Esportes Athleticos
J 2, E 1, D 1
1928/07/15
Caxambu
2 x 1
Associação Athletica Nacional de Caxambu
J 1, V 1
1928/07/29
Cambuquira
3 x 2
Associação Athletica Cambuquirense
J 1, V 1
1928/08/05
Lavras
?
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 5, V 3, D 1
1928/1929
Lavras
7 x 0
Eloy Mendes Foot Ball Club
J 3, V 3
1928/1929
Lavras
6 x 1
América Foot Ball Club (Nepomuceno)
J 2, V 2
1928/1929
Lavras
3 x 5
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 6, V 3, D 2
1929
pelo menos outros cinco jogos com vitórias do Lavras em 1929
1929/06/30
Lavras
3 x 6
Club Athlético Mineiro (Belo Horizonte)
J 1, D 1
1932/05/15
Varginha
2 x 1
Ass. Varginhense de Esportes Athleticos
J 3, E 1, D 2
1932/07/17
Lavras
8 x 3
Fluminense (Belo Horizonte)
J 1, V 1
1930s
Itajubá
2 x 5
Itajubá
J 1, D 1
1930s
Lavras
8 x 1
Ass. Varginhense de Esportes Athleticos
J 4, V 1, E 1, D 2
1930s
Lavras
8 x 4
Formiguense Foot Ball Club (Formiga)
J 3, V 2, E 1
1930s
Lavras
5 x 1
Athletic Foot Ball Club (São João del-Rei)
J 7, V 4, D 2
1935/07/07
Lavras
4 x 2
América Foot Ball Club (Belo Horizonte)
J 1, V 1
1936/07/12
Lavras
1 x 3
Olympico Futebol Clube (Itabapoana-RJ)
J 1, D 1
1936/07/19
Lavras
2 x 2
Formiguense Foot Ball Club (Formiga)
J 4, V 2, E 2


Nota: nos resultados, considera o número à esquerda como gols do Lavras, independente do local da partida.

Fontes: DUARTE, Jorge (1928); OLIVEIRA, Getúlio de (1972); VILELA, Márcio (2007).